A arquitetura e a iluminação natural





A iluminação natural vem das fontes de luz natural, ou seja, através do sol, do céu e de reflexos de demais construções, que fornecem respectivamente, luz direta, luz difusa, refletida ou indireta.

Adaptar um edifício às necessidades de conforto visual em uma edificação com a predominância em iluminação artificial, pode ser considerado uma tarefa relativamente fácil. Com algumas soluções que poderão ser adotadas, é fato, que haverá uma grande economia em energia elétrica, manutenção e equipamentos.

Podemos ter acesso a luz natural em boa parte do nosso dia, mas nem sempre ela é bem explorada em projetos. Esta luz penetra nos ambientes por aberturas, que também podem transmitir calor (pela radiação solar), ventilação natural e alguns ruídos externos que podem se tornar indesejáveis, portanto, deve ser analisada a melhor forma de explorá-la sem que com ela, veja algum outro componente que possa diminuir o conforto ambiental.

A melhor forma de se estudar a incidência de luz em uma construção, é através da análise de modelos físicos, maquetes ou simulação, verificando a quantidade de luz natural que pode ser esperada na base da edificação.

As cores têm grande responsabilidade quanto a reflexão da luz, ou seja, as mais claras refletem melhor a luz de dentro de um edifício.

Telhados claros podem aumentar a luz que as claraboias transmitem. Outro benefício de se ter telhados claros, é que é uma solução prática e de baixo custo, para diminuir a temperatura nos ambientes (reduzem cerca de 40 à 70%), sendo que tem capacidade de reduzir em até 96% a incidência dos raios UV, segundo pesquisador Akbari Hashem, do Lawrence Berkley National Laboratory, dos Estados Unidos. Isso acontece, pois a cor clara, reflete a luz solar diminuindo a quantidade de calor absorvido na edificação.

Alguns mecanismos podem ajudar a incidência da iluminação natural em uma construção, além das aberturas laterais, coma as janelas. São chamadas de iluminação zenital, através de um vidro que pode ser posicionado em diversas formas, como a Claraboia, Shed ou Domo.

A Claraboia, é uma abertura, coberta por um caixilho ou cúpula envidraçada. Já o Shed é um telhado em forma de serra, com um dos planos em vidro. Muito utilizado em fábricas ou galpões. O domo, é uma espécie de cúpula, onde é abobada hemisférica, ou seja, seu formato é a metade de uma esfera, também feita em vidro.

Em relação a orientação, o mais indicado para se ter uma boa iluminação natural na edificação, é que a abertura fique na posição Norte e em segundo lugar o Sul. As piores são Leste e Oeste, isso porque elas recebem a luz solar direta com maior intensidade no verão e consecutivamente menor no inverno, com baixos ângulos de altura solar.

Vários são os pontos a serem analisados em um projeto para que seja possível ter toda a vantagem da iluminação natural, que pode estar atuando em conjunto com a iluminação artificial, para se ter um melhor conforto ambiental.

#arquitetura #architecture #projetos #projetoarquitetonico #arquiteturamoderna #gerenciamentodeobras #arquiteturasustentavel #varejo #arquiteturacorporativa #arquiteturacomercial #projetodearquitetura #projetodeinstalações #obras #gerenciamento #diariodeobra #engenhariacivil #construçãocivil #tecnologia #inovação #bim #engenharia #eficienciaenergetica

48 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo